quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Revestida de musgos




Desapareceram!
Esconderam-se nos poros da Lua.
Foram-se com a areia abraçadas pelas ondas.
Colaram-se às notas da música,
Fugiram das salas de concertos.
E estavas ali sentada em uma pedra,
observando e escrevendo,
apontando cada imagem e substância.
Ninguém seria então desconhecido ou ignorado.
O amor pelo seu peso de sorriso e de nostalgia,
o corpo pela sua carne e pelos seus anos.
Agora… vazio,
torcidos os sonhos, polidos, inócuos,
não os vejo nem os sinto.
Evadiram-se pelos lábios sucessivos,
Desviaram-se pelas linhas de uns seios.
Transladaram-se em promessas corroídas,
Enferrujaram-se no lodo de meus tempos.
E segues ali, alma minha,
sentada em uma pedra,
revestida de musgos,
soluçando e escrevendo.

Walter Faila
Argentina
Tradução: Maria Lua

3 comentários:

Maria Lua disse...

Teu blog em português está muito
bonito!
Belos poemas!
Belas fotos de Nova Friburgo, a minha "cidade das montanhas", de tantas belezas...
Este poema "Revestida de Musgos" é um dos meus preferidos...
Un beijo com muito carinho,
querido amigo Walter...
Maria Lua

Walter Faila disse...

Obrigado meu amiga Maria.-

Beijos

FANNY JEM WONG disse...

TU POESÍA ES HERMOSA MI QUERIDO WALTER
BESOTES
JEM WONG